Revista médica e científica internacional dedicada a profissionais e estudantes de medicina veterinária.
Veterinary Focus

Número da edição 32.1 Outros conteúdos científicos

Puppy growth charts

Publicado 20/04/2022

Escrito por Caitlin Grant

Disponível em Français , Deutsch , Italiano , Polski , Română , Español e English

Growth charts for children are nothing new, but recent work has resulted in the concept being developed for dogs, and they are now an essential part of the veterinarian’s toolkit.

Remus being weighed at home

Pontos-chave


Os gráficos de crescimento podem ser parte integrante das avaliações de rotina dos filhotes caninos e ajudarão a garantir que eles recebam a nutrição correta à medida que se desenvolvem.


Atualmente, dez gráficos de crescimento estão disponíveis para os cães, organizados por sexo (macho versus fêmea) e por tamanho adulto estimado.


Gráficos de crescimento genéricos não são adequados para raças gigantes (> 40kg); por essa razão, o médico-veterinário deve construir um gráfico único para cada cão dessa categoria.


Introdução

As consultas de filhotes de cães e de gatos são uma ocorrência diária para a equipe veterinária e tendem a ser agradáveis para todos os envolvidos, mas também são extremamente importantes para fazer com que um novo pet tenha o melhor começo possível. Pelo menos parte da consulta deve incluir uma conversa sobre como garantir a dieta mais adequada para o recém-chegado – portanto, antes de falar sobre os gráficos de crescimento, é importante primeiro rever porque é tão importante incorporar as conversas sobre nutrição nessas consultas iniciais.


Por que falar sobre nutrição?

Socialização e habituação

As visitas à clínica a cada duas ou três semanas para verificar o peso podem ser uma excelente maneira não só de monitorar o crescimento do paciente, mas também de socializar um novo filhote. Os pets podem aprender a fazer associações positivas com a clínica se receberem elogios e petiscos por coisas como subir na balança ou permitir um breve exame físico para avaliar o escore de condição corporal.


Consultas frequentes

Novos filhotes de cães e de gatos irão muito à clínica veterinária em seu primeiro ano de vida – para consultas de vacinas, testes de dirofilariose e pesquisa de outros parasitas, além da cirurgia de castração. Todos esses aspectos são ótimas oportunidades para conversar com os tutores do pet, avaliar como o novo membro da família está crescendo e verificar se eles têm dúvidas sobre a alimentação do pet (Figura 1).

A new puppy‘s first visits to the veterinary clinic

Figura 1. As primeiras visitas de um novo filhote à clínica veterinária são uma ótima oportunidade para falar sobre a alimentação e o controle de peso com os tutores.

Créditos: Shutterstock

Prevenção

A Association for Pet Obesity Prevention (Associação Norte-americana para Prevenção de Obesidade em Pets) relatou em 2018 que quase 60% dos cães e gatos de estimação nos EUA estavam com sobrepeso ou obesos 1

Os programas para perda de peso podem não ser uma tarefa fácil! É possível que seja necessário convencer os tutores antes mesmo de eles estarem prontos para abordar o tema da perda de peso, e o ato de ajudar um pet a atingir um escore de condição corporal ideal quando eles tiverem talvez 15 ou 20% (ou até mais) de excesso de gordura corporal pode levar tempo. As equipes de atendimento médico-veterinário precisam se sentir à vontade para ter essas conversas difíceis e iniciar um plano de perda de peso, embora outra abordagem para a epidemia de obesidade seja focar na prevenção. Quer melhor momento para prevenir a obesidade do que quando o pet ainda é jovem e saudável? Se a equipe conseguir falar sobre os riscos da obesidade nessa etapa da vida e fornecer aos tutores ansiosos as ferramentas para evitar que seus novos pets fiquem muito pesados, talvez seja possível reduzir o número de animais que ficam com sobrepeso ou obesos. Se os pais do pet forem instruídos em assuntos como ganho de peso ideal, escore de condição corporal, controle das porções e petiscos “inteligentes”, eles se mostrarão mais receptivos às recomendações iniciais se o animal começar a ganhar muito peso.

Orientação de especialistas

Os tutores desejam conversar sobre nutrição com a equipe de profissionais veterinários de seu pet, e ter essas conversas no início da vida de um cão ou gato demonstra uma abordagem proativa e transmite a mensagem de que a clínica veterinária é a melhor fonte de boas informações quando se trata de manejo nutricional. Dessa forma, quando os pais de pets recebem recomendações nutricionais de seu criador, amigo, funcionário de pet shop ou outra pessoa bem-intencionada, é de se esperar que eles levem esses conselhos de volta à clínica para checá-los antes de obedecer.

 

Interesse do tutor e prontidão para aprender

Há uma razão pela qual todo mundo adora consultas de filhotes de cães ou de gatos, além da chance de afagar um paciente saudável e adorável. Os novos pais de pets estão tão empolgados quanto a equipe de profissionais veterinários e, muitas vezes, ansiosos para mostrar seu novo e fofo membro da família. Esses tutores também tendem a ser mais determinados a fazer tudo o que podem para manter seu pet saudável e, de modo geral, estão motivados a ouvir conselhos sobre como proporcionar a melhor nutrição. Sugestões como pesar os alimentos em uma balança de gramas ou evitar os petiscos de alto teor calórico podem parecer assustadoras para os tutores de pets doentes, pois eles podem se sentir sobrecarregados com tantas outras recomendações de tratamento, e a nutrição acaba ficando em segundo plano. Os novos pais de pets podem ser mais ansiosos e receptivos a esses tipos de sugestões e, se eles aprenderem esse comportamento desde cedo, pode ser muito mais fácil mantê-lo durante toda a vida do animal. Além disso, pesquisas que investigam a comunicação com clientes em um ambiente veterinário descobriram que os tutores de pets querem estar em parceria com o médico-veterinário 2

. Ao ter conversas sobre nutrição desde o princípio, podemos estabelecer essa parceria com nossos clientes e fortalecer o relacionamento veterinário-cliente.

Com tudo isso em mente, chegou a hora de recorrer a uma ferramenta interessante que toda equipe de profissionais veterinários deve ter em seu kit de nutrição – os Gráficos de Crescimento.

 

O que são gráficos de crescimento?

Os gráficos de crescimento podem ser algo mais familiar para os tutores de pets que também tenham filhos, pois são uma ferramenta utilizada por pediatras e enfermeiros para acompanhar o crescimento de bebês e crianças. Eles consistem em curvas de percentil construídas com o uso de uma série de medidas (altura, peso, índice de massa corporal [IMC] e idade) 3

, e são usados na medicina humana desde 1977 como uma ferramenta para avaliar se o crescimento de uma criança está adequado ou não. De maneira semelhante, o Waltham Centre, um instituto de ciência e pesquisa de propriedade da Mars Petcare, desenvolveu gráficos de crescimento para cães 4. Esses gráficos foram elaborados com base em dados de dezenas de milhares de cães saudáveis e agora representam uma ferramenta para ajudar as equipes de profissionais veterinários a avaliarem se o crescimento de um filhote está no caminho certo ou não para a sua idade.

No entanto, um fator adicional que teve de ser considerado durante a elaboração dos Gráficos de Crescimento de Filhotes é a existência de uma enorme variedade de raças de cães – portanto, uma única curva de crescimento não serve para todos os portes. Por essa razão, atualmente existem dez gráficos de crescimento disponíveis para cães – organizados por sexo (macho versus fêmea) e por tamanho adulto estimado (< 6,5 kg, 6,5-9 kg, 9-15 kg, 15-30 kg e 30-40 kg) 5

.


Que informações são necessárias?

Para usar um gráfico de crescimento de um filhote, há necessidade das informações a seguir:

  • Sexo do filhote – existem gráficos separados disponíveis para machos e fêmeas;
  • Peso adulto estimado do filhote; isso pode ser determinado, utilizando o peso dos progenitores (note que isso pressupõe que esses progenitores estejam em condição corporal ideal) ou o padrão da raça;
  • Idade do filhote em semanas;
  • Peso do filhote em quilogramas;

Uma vez que esses detalhes estejam à mão, é possível imprimir o gráfico de crescimento correto e traçar o peso e a idade do filhote. Para baixar os arquivos em PDF das 10 curvas de crescimento disponíveis, acesse: https://www.waltham.com/resources/puppy-growth-charts.

Caitlin Grant

Os gráficos de crescimento foram desenvolvidos com base em dados de dezenas de milhares de cães saudáveis e, atualmente, representam uma ferramenta para ajudar as equipes de profissionais veterinários a avaliarem se o crescimento de um filhote está no caminho certo ou não para a sua idade.

Caitlin Grant

Com que frequência a medição deve ser feita?

Para interpretar os dados com mais acurácia (i. e., precisão), são necessárias medições frequentes, especialmente no início da vida do filhote. Isso permite determinar em qual curva de percentil o filhote está começando nos primeiros meses de vida, o que dá uma ideia melhor de qual deve ser o peso-alvo em uma determinada idade. Os filhotes devem ser, no mínimo, pesados a cada duas semanas, mas a melhor opção é pesá-los semanalmente. Certifique-se de que esses pesos sejam registrados na mesma hora do dia, pois o horário da última refeição, os movimentos intestinais e o estado de hidratação podem fazer com que o peso oscile durante o dia.

 

É possível que alguns tutores que tenham uma vida muito atarefada ou que morem mais longe não consigam levar seu filhote para controles semanais de peso; nesse caso, podem-se considerar as seguintes opções no ambiente doméstico:

  • Balanças de banheiro: se o tutor conseguir levantar o filhote com segurança, ele poderá se pesar juntamente com o pet e depois subtrair seu próprio peso.
  • Balanças para bagagens: filhotes pequenos podem ser colocados em uma caixa de transporte para pets e pesados em balanças de bagagem – novamente subtraia o peso da caixa vazia do peso bruto.
  • Balanças para pets: estas podem ser compradas pela Internet e variam em termos de custo, dependendo do tamanho das balanças.

Se o tutor conseguir obter alguns pesos semanais em casa, o ideal é que o filhote ainda compareça à clínica para uma avaliação a cada quatro semanas (o que geralmente coincidirá com as vacinas de reforço), permitindo que a equipe veterinária garanta o bom crescimento do filhote e a avaliação do escore de condição corporal.

 

Colocando a curva de crescimento em prática

Uma vez iniciada a construção de um gráfico de crescimento para um paciente, é importante usá-lo corretamente! O gráfico fornecerá uma previsão bastante precisa da taxa de crescimento esperada de um filhote uma vez que se estabeleça a curva de percentil em que ele está crescendo. Um estudo recente comparou cães saudáveis e outros em condição corporal anormal utilizando os dados do gráfico de crescimento 6

 e descobriu que o desvio da linha de percentil original era muito raro em cães saudáveis, mas aqueles que estavam obesos aos três anos de idade apresentaram um crescimento mais rápido, e a maioria havia cruzado duas ou mais linhas de percentil durante o período de crescimento. O gráfico deve, portanto, ser utilizado para verificar se um filhote está crescendo de acordo com a curva de percentil em que ele começou e deve evitar cruzar uma linha de percentil. Se um filhote se aproximar de uma linha acima de sua curva, ele está crescendo muito rapidamente e a ingestão energética (calórica) deverá ser reduzida, ao passo que se ele se aproximar de uma linha abaixo de sua curva, ele está crescendo muito lentamente e a ingestão energética deverá ser aumentada.

O que mais deve ser feito nos controles de peso?

As checagens do peso não incluem simplesmente uma pesagem na balança e um registro do peso no gráfico de crescimento. A equipe de profissionais veterinários pode aproveitar essa oportunidade para avaliar alguns outros tópicos importantes:

  • Histórico da dieta: pergunte o tipo e a quantidade de alimento que o filhote está consumindo. Os tutores podem ter trocado os alimentos desde a última visita ou ajustado o tamanho da porção por conta própria.
  • Escore de condição corporal: o sistema de escore da condição corporal ainda não foi validado em filhotes de cães, mas ainda pode ser útil em conjunto com o peso e o gráfico de crescimento para determinar se o filhote está acima ou abaixo do peso. Também é possível fazer com que o filhote se acostume a passar por essa avaliação e, para tanto, o tutor pode ser incentivado a fazer uma estimativa regular do escore de condição corporal em casa.
  • Atividade: pergunte sobre os níveis de atividade do filhote – ele está começando aulas de obediência ou fazendo mais passeios? Um incremento no nível de atividade pode justificar um aumento na ingestão energética.


Limitações dos gráficos de crescimento

  • Cães de raças gigantes (ou seja, aqueles que excedem um peso corporal adulto de 40 kg): os gráficos de crescimento disponíveis atualmente param em 40 kg, pois os pesquisadores descobriram que os cães de raças gigantes apresentam um crescimento variável dependente da raça, o que impede a criação de curvas-padrão 5. Para um paciente de raça gigante, o médico-veterinário ainda pode seguir todas as sugestões citadas anteriormente, mas deve criar um gráfico exclusivo para acompanhar o peso e a idade. Isso permite monitorar os padrões de crescimento, e a ingestão de energia pode ser ajustada caso seja observado um grande aumento do peso ou se o animal ganhar menos peso do que o esperado.
  • Cães sem raça definida: os gráficos de crescimento podem ser utilizados para raças mistas, mas o desafio aqui está no fato de que identificar o peso adulto-alvo de um filhote pode ser difícil se a composição da raça for incerta. A recomendação da autora é fazer o “melhor palpite” ou a “melhor suposição” e usar os primeiros pesos registrados para ajudar a decidir onde o filhote pode se enquadrar em uma curva de crescimento. Outra opção é sugerir testes genéticos se o tutor estiver interessado em saber qual a constituição do seu pet.
  • Gatos: atualmente, não há gráficos de crescimento publicados para essa espécie, mas como nos comentários expostos anteriormente para raças gigantes, é possível fazer um gráfico para cada paciente, utilizando seus dados individuais e seguindo as mesmas orientações.


Exemplo de caso – cão de nome Remus

Remus é um filhote macho mestiço de Pastor X Collie (Figura 2) adotado de um abrigo por seu novo tutor – que, no caso, começou a fornecer um alimento comercial para filhotes elaborado para Pastores Alemães. Remus teve seu peso registrado em sua primeira visita à clínica quando tinha 10 semanas de vida, e seu tutor tinha o peso dele com 8 semanas de vida quando estava no abrigo de adoção. Como Remus é um cão sem raça definida, foi mais desafiador determinar qual seria seu peso adulto, mas o gráfico de 30-40 kg foi escolhido como o mais adequado para ele.

Remus at 12 weeks of age

Figura 2. Um cão chamado Remus (caso clínico) com 12 semanas de vida

Créditos: Bridget Grant

Seu peso em 10 semanas era de 6 kg, e isso foi representado graficamente na curva de crescimento. Seu tutor decidiu fornecer a ele um alimento comercial seco formulado para filhotes, especificamente a Royal Canin Puppy Large. Esse alimento fornece 366,7 kcal por cada 100 gramas, ou 352 kcal por xícara. A necessidade energética de Remus foi estimada em 805 calorias por dia (NER multiplicada por um fator da NED igual a 3 desde que ele tinha menos de 4 meses de vida*7 (2 × NER é o cálculo normalmente usado para um filhote com mais de 4 meses de vida, enquanto os cães adultos castrados geralmente necessitam entre 1,4-1,6 × NER, embora isso possa ser maior ou menor, dependendo dos níveis de atividade). Remus recebeu uma alimentação diária de 2 xícaras e ¼ (792 calorias).

* NER = necessidade energética em repouso; NED = necessidade energética diária

Remus had his initial weights marked on the growth chart at 10 (red dot), 14 (blue dot) and 18 (yellow dot) weeks

Figura 3. Remus teve seus pesos iniciais assinalados no gráfico de crescimento em 10 (bolinha vermelha), 14 (bolinha azul) e 18 (bolinha amarela) semanas. Isso o estabeleceu no percentil 50.

Credit: WCPN

Os pesos de acompanhamento de Remus em 14 e 18 semanas de vida foram de 12 e 16 kg, respectivamente (Figura 3), o que correspondia à tendência do percentil igual a 50. A quantidade de alimento foi aumentada para 3 xícaras e ¼ (1.144 calorias) nesse último ponto. Em seguida, Remus foi avaliado novamente aos 6 meses de idade com um teste de dirofilariose e também foi pesado para a prescrição de medicamentos preventivos orais. O peso nessa consulta era de 25 kg, o que, de acordo com o gráfico de crescimento, foi levemente superior ao previsto pela curva de crescimento (Figura 4). Nesse momento, ele estava sendo alimentado com um total de 4 xícaras e meia (1.584 calorias) por dia; por isso, foi recomendada uma redução de 10% na ingestão de calorias (ou seja, 389 gramas [1.426 calorias]). A tutora de Remus também foi instruída a pesar a alimentação dele em uma balança de gramas para obter uma maior precisão 8 e, como ela estava preocupada com a possibilidade de ele implorar por mais comida se a quantidade fosse reduzida, ela começou a alimentá-lo com um dispensador de alimento tipo quebra-cabeça (Figura 5).

At 26 weeks of age Remus weighed in at 25 kg

Figura 4. Com 26 semanas de vida, Remus pesava 25 kg, o que, quando representado no gráfico, mostrava que ele estava um pouco acima do percentil 50 (bolinha verde).

Credit: WCPN

A puzzle feeder was introduced to ensure that Remus ate his reduced food portion slowly

Figura 5. Um dispensador de alimentos tipo quebra-cabeça foi introduzido para garantir que Remus comesse sua porção reduzida lentamente.

Créditos: Bridget Grant 

Remus, então, veio para as avaliações de acompanhamento em 28 e 30 semanas de vida; seu peso com 28 semanas era de 26 kg e, como aparentemente ele estava se aproximando da curva (Figura 6), não foi recomendada nenhuma mudança na quantidade de alimentos. Com 30 semanas, seu peso voltou à curva do percentil igual a 50, com um peso de 27 kg. A tutora de Remus decidiu adquirir uma balança para usar em casa, a fim de conseguir pesá-lo com mais frequência e ajustar o consumo alimentar dele para cima ou para baixo, se necessário (Figura 7). O peso de Remus em seu primeiro aniversário era de 32 kg, o que, de acordo com o gráfico de crescimento, era exatamente onde ele estava previsto chegar!

Remus had nearly reverted to the 50th centile at 28 weeks of age

Figura 6. Remus quase retornou ao percentil 50 com 28 semanas de vida (quando pesava 26 kg – bolinha roxa) e estava com 27 kg duas semanas depois (bolinha rosa). Com um ano de idade, ele pesava 32 kg (bolinha preta) , seu peso ideal conforme previsto pelo gráfico de crescimento.

Credit: WCPN

Remus being weighed at home

Figura 7. Pesagem de Remus em casa.

Credit: Caitlin Grant

Considerações finais

Basicamente, nosso objetivo como médicos-veterinários é preparar os tutores de pets para ter sucesso, e o melhor momento para começar isso é nas fases iniciais de vida dos filhotes de cães e de gatos. Ter conversas sobre nutrição, selecionar um alimento adequado e aconselhar sobre o controle adequado das porções fazem parte da responsabilidade da equipe veterinária, juntamente com o monitoramento do peso e da condição corporal e a orientação sobre o uso de petiscos de baixa caloria e uma balança de gramas para pesar os alimentos. A introdução de todas essas medidas em um estágio precoce (inicial) pode não só ajudar a orientar os tutores sobre como garantir que seu pet permaneça saudável, mas  também permitir que ele tenha uma vida longa e feliz.

References

  1. Association for Pet Obesity Prevention. https://petobesityprevention.org/ Accessed October 8, 2021.

  2. Janke N, Coe JB, Bernardo TM, et al. Pet owners’ and veterinarians’ perceptions of information exchange and clinical decision-making in companion animal practice. PLOS One 2021;16(2)

  3. Centers for Disease Control and Prevention. Growth charts – 2000 CDC Growth Charts – United States 2016. www.cdc.gov/growthcharts/cdc_charts.htm Accessed October 8, 2021

  4. Puppy growth charts | Waltham Petcare Science Institute. www.waltham.com/resources/puppy-growth-charts Accessed October 8, 2021.

  5. Salt C, Morris PJ, German AJ, et al. Growth standard charts for monitoring bodyweight in dogs of different sizes. PLOS One 2017;12(9).

  6. Salt C, Morris PJ, Butterwick RF, et al. Comparison of growth patterns in healthy dogs and dogs in abnormal body condition using growth standards. PLOS One 2020;(15)9.

  7. Thatcher CD, Hand MS, Remillard RL. Small Animal Clinical Nutrition: An Iterative Process. In: Hand M, Thatcher C, Remillard R, et al (eds). Small Animal Clinical Nutrition. 5th ed. Topeka, Kansas: Mark Morris Institute; 2010:3-21.

  8. Coe JB, Rankovic A, Edwards TR, et al. Dog owner’s accuracy measuring different volumes of dry dog food using three different measuring devices. Vet. Rec. 2019;185(19):599.

Caitlin Grant

Caitlin Grant

A Dra. Grant frequentou o Ontario Veterinary College (OVC, Faculdade de Medicina Veterinária de Ontário, Canadá) e se formou com honrarias em 2014, iniciando sua carreira como médica-veterinária associada em uma clínica privada de animais mistos. Leia mais